Loading

4 de fev de 2011

É hora de partir para o padrão IPv6

A Internet Assigned Numbers Authority (IANA) entregou ontem os últimos cinco blocos de endereços IPv4 para as entidades que regulam a distribuição de endereços IP pelo mundo. Na prática, isso significa que não há mais endereços do padrão IPv4 disponíveis para conexão de dispositivos à internet. 
Com o fim dos endereços IPv4, a expansão da internet será feita por meio do protocolo IPv6. Ele aumenta o número de endereços disponíveis para conexão de dispositivos à internet.

IPv6 garante futuro da internet
Todo dispositivo que acessa a internet necessita de um endereço IP, que serve como um identificador daquele terminal dentro da rede. O padrão IPv4 fornecia cerca de 4 bilhões de endereços, que acabaram hoje. Mas a migração para o padrão IPv6 ampliará a quantidade de endereços disponíveis e assegurará a expansão da internet.
O IPv6 oferece 2128 combinações de números, ou seja, 340.282.366.920.938.463.463.374.607.431.768.211.456 endereços IP. Isso equivale a 79 trilhões de trilhões de vezes o espaço oferecido pelo IPv4.
No Brasil, o gerenciamento dos endereços IP é feito pelo NIC.br. Segundo a entidade, os endereços IPv4 brasileiros devem durar até 2012, caso não haja alterações bruscas de mercado. O NIC.br está trabalhando com empresas de infraestrutura de internet para acelerar a adoção do IPv6 no Brasil.
Internauta não precisa se preocupar
A migração do padrão IPv4 para o IPv6 é um processo que afeta apenas as empresas que lidam com a infraestrutura da internet. Para que isso aconteça é necessário que essas companhias atualizem seus equipamentos e sistemas de comunicação.
Já para o internauta, nada muda na maioria dos casos. As redes IPv4 e IPv6 são compatíveis entre si e todos os sistemas operacionais modernos já suportam o IPv6. Não será necessário, portanto, adquirir um novo sistema operacional ou software para continuar acessando a internet.
A troca de computador pode ser necessária apenas para quem tem PCs muito antigos, de meados dos anos 1990. Em alguns casos pode ser necessário também trocar o modem de banda larga. Mas apenas se o modelo for muito antigo.

Bom, agora é só esperar pra ver mesmo se isso não nos afetará, pois se tratando de Telefônica e serviço banda larga nós brasileiros já sabemos muito bem como funciona.