Loading

1 de fev de 2011

Como formatar seu pendrive para funcionar com o Windows, Linux e Mac

Você sabia que o seu pendrive pode funcionar em qualquer sistema operacional sem problemas? Saiba como formatar da melhor maneira para total compatibilidade.

Qualquer computador mais atual possui uma entrada USB para dispositivos de troca de dados, o pendrive. Dessa forma, você pode copiar e colar arquivos importantes e compartilhar qualquer informação de forma simples, fácil e rápida.
Entretanto,
se você usa sistemas operacionais diferentes, é preciso ficar de olho na hora de formatar o dispositivo, para que ele seja compatível com sistemas Windows, Linux ou Mac. Para isso, basta seguir uma regrinha básica, que faz toda a diferença.
Escolha a opção FAT32 ao formatar o pendrive no Windows

FAT32

Na hora de formatar um pendrive, você pode escolher entre diferentes padrões, cada um com suas vantagens e desvantagens. Porém, se você quer que seu compartilhamento de dados funcione em qualquer computador, a dica é formatar sempre no padrão FAT 32.
Ele é usado por todos os computadores para leitura, portanto, compatível com qualquer SO. O padrão também utiliza menos espaço no USB e é mais veloz, uma vez que utiliza menos operações de escrita no disco.
Escolha a opção FAT também no Mac
Já o NTFS, outro padrão também utilizado para a formatação de pendrives, requer o uso de aplicativos de terceiros para rodar no Mac, apesar de poder ser usado no Linux.

Vantagens e desvantagens

Claro que todo e qualquer padrão também possui suas desvantagens. No caso do FAT32, o grande problema é o espaço que você pode usar do sistema. Para dispositivos formatados com esse padrão, é possível inserir arquivos com, no máximo, 4 GB. Isso faz com que a edição de vídeos, por exemplo, se torne quase que impossível, uma vez que o tamanho dos arquivos ultrapassa esse valor.
Para formatar no Linux, a possibilidade do FAT também aparece na lista
Da mesma forma, o FAT32 deve ser usado em volumes com tamanho máximo de 32 GB. Para usar o padrão em pendrives maiores, é necessário dividir o espaço em partições diferentes, o que pode ser trabalhoso e pouco interessante.
Portanto, se você procura por um padrão que não dê dores de cabeça e possa ser usado em qualquer sistema operacional sem maiores problemas, o FAT32 é a melhor alternativa, apesar das limitações.  

Fonte: Baixaki